Navegue
por categorias

O que é preciso fazer antes de começar a mergulhar?

Ver de perto tudo que se passa no fundo do mar, conhecer a vida marinha e colecionar aventuras são alguns dos atrativos da prática de mergulho. Quem se encanta pela ideia e quer começar a cair no mar, deve preencher requisitos muito simples, como ter boa saúde, saber nadar e ter mais de 10 anos de idade.

O formador de instrutores de mergulho recreativo, Alvanir Oliveira, mais conhecido como “Jornada”, alerta que as únicas contraindicações são em casos de epiléticos, cardíacos graves, asmáticos crônicos e gestantes. Uma vez cumpridos todos os requisitos, o interessado em mergulhar deve procurar uma escola que ofereça o curso inicial, chamado de SCUBA DIVER ou OPEN WATER em algumas agências. “Até o termo 1 Estrela pode ser encontrado. Os padrões também podem variar de agência para agência”, esclarece Jornada. O importante é que a certificação siga padrões internacionais.

Equipamentos

Os equipamentos básicos para começar a mergulhar são a máscara, o snorkel, as nadadeiras e um lastro, que serve para equilibrar a flutuação do mergulhador. Jornada explica que nem sempre é necessário comprar todo o aparato antes de começar um curso. “Cada escola tem a sua política, de oferecer todo o equipamento ou de exigir que o aluno tenha parte dele”, diz.

Etapas do Curso

Durante o curso, o iniciante terá aulas teóricas, que falam sobre noções básicas dos equipamentos até o planejamento de mergulho, exercícios práticos e meio ambiente. Para atestar os conhecimentos adquiridos, é aplicado um exame escrito ao final desta etapa. Depois da primeira fase, o aluno parte para as seções em águas confinadas, que acontecem geralmente em piscinas e abordam todas as habilidades que o futuro mergulhador precisará dominar debaixo d’água. Na parte final do curso são feitos pelo menos quatro mergulhos em águas abertas, nos quais o aluno colocará em prática tudo o que foi aprendido. Finalmente, o mergulhador recebe um certificado internacional que permitirá a prática da atividade e o aluguel de equipamentos no mundo todo.

Como escolher a escola

Jornada deixa claro que é fundamental prestar atenção a alguns detalhes na hora de escolher a escola. O aluno deve checar a reputação e a experiência, e estar atento também ao padrão do curso e à certificadora escolhida. “Tenha certeza de que o staff envolvido é qualificado e certificado, peça para ver as credenciais de instrutores e dive masters”, recomenda. Outro cuidado é com as ofertas mirabolantes de preços. “Uma boa escola não o tratará como mais um número”, afirma Jornada.

Vai lá

O litoral de São Paulo é bastante rico e acessível em pontos de mergulho. O Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, por exemplo, é uma ilha que fica a apenas 40 km da costa e tem grande diversidade de vida marinha. Você pode saber mais sobre o parque no link: http://www.lajeviva.org.br/parque/.

A Ilha das Cabras, em Ilhabela, também é um dos locais preferidos para mergulhadores profissionais e amadores. É lá que fica localizado um Santuário Ecológico Submarino, protegido por leis de caça e pesca submarina, desde 1992. No local, existe uma estátua de Netuno coberta por corais que fica há 7 metros de profundidade e atrai ainda mais vida marinha! No link http://www.ilhabela.com.br/praias/ilha-das-cabras/ você pode conferir mais informações sobre a Ilha das Cabras.