Navegue
por categorias

Já pensou em mergulhar? Essas dicas vão te inspirar a se aventurar pelo Brasil

Fotógrafos e especialistas em esportes de aventura, Alexandre Socci e Allan Piccinin dão dicas dos melhores mergulhos, com direito a avaliação de onde conseguir melhores imagens.


Pela necessidade de equipamentos especiais – e pelo fato de que a ideia é manter-se embaixo da água por mais tempo do que suportam naturalmente nossos pulmões – talvez o mergulho pareça uma atividade arriscada. No entanto, é considerada uma das atividades mais seguras dentro dos esportes de aventura. É o que garante o instrutor de mergulho Allan Piccinin, que junto ao fotógrafo de esportes extremos Alexandre Socci, separou 10 destinos incríveis em território brasileiro para iniciantes e mergulhadores experientes.

“O iniciante ou interessado precisa saber que essa é uma das atividades de aventura mais seguras, porém é necessário treinamento adequado para praticar o mergulho autônomo com cilindro [reservatório de ar para mergulhos]. Você deve procurar uma escola de mergulho para iniciar a prática. Esse esporte pode ser praticado por crianças a partir de 10 anos e sem limite máximo de idade”, explicam os especialistas.

O kit básico, composto por máscara, snorkel e nadadeira, serve para o mergulho livre e para o mergulho autônomo de cilindro. É preciso dominar os conceitos básicos de natação, a chamada “natação de sobrevivência”, conseguindo manter-se na superfície da água sem afundar, mas não é necessário ser um exímio nadador, saber um estilo específico de natação ou ser um atleta.

Vai lá:

(Os preços sugeridos incluem, sempre, lanche a bordo e dois cilindros de ar)

1 - Fernando de Noronha - PE
Em um dos mais famosos destinos para mergulhadores em todo país, Socci e Piccinin recomendam dois destinos em especial: Pedras Secas, um mergulho de 17 metros para níveis básico e avançado, e o naufrágio da Corveta V17 Ypyranga – este último, um desafio de grande profundidade (62 metros), para mergulhadores mais experientes. Segundo eles, é possível conseguir fotografias cinco estrelas em Pedras Secas e três estrelas em Corveta. O primeiro passeio tem média de preço entre R$ 350 e R$ 400. Chega-se até o ponto de mergulho por meio de um barco catamarã saindo da Praia do Porto.  Para a Corveta, o preço médio é de R$ 1.200 (incluindo mistura de gases para equipamento de mergulho, também com catamarã saindo da Praia do Porto).

2 – Recife – PE
Na capital pernambucana, mais dois naufrágios tornam-se aventura de mergulhadores. O Taurus (mergulho médio a avançado, de 24 metros de profundidade) e o Naufrágio Gonçalo Coelho (médio a avançado, de 32 metros de profundidade). De acordo com os especialistas, fotografias no Taurus valem quatro estrelas, três estrelas em Gonçalo Coelho. Para chegar ao primeiro, navegação de 1h20 em catamarã saindo de Recife. Até o Naufrágio Gonçalo Coelho são 45 Minutos de navegação saindo de Serrambi (Porto de Galinhas). O custo é de cerca de R$ 400 por passeio.

3 - Parque Estadual Marinho da Laje de Santos – SP
Fica a 40 km da costa do litoral paulista. Suas piscinas são constituídas de mergulhos de 16 metros de profundidade (nível médio a avançado). Já os Rochedos dos Calhaus são passeio para mergulhadores experientes, a 18 metros de profundidade. Os especialistas dão quatro estrelas de fotografia para ambos os mergulhos. Os dois programas circulam na faixa de R$ 420, ambos a 1h30 de navegação em lancha rápida, saindo das marinas de São Vicente.

4 – Guarapari – ES
Nessa cidade capixaba, o naufrágio do navio Victory 8b tornou a embarcação mais um ponto de mergulho para os praticantes. A 34 metros de profundidade, esse é um mergulho para praticantes com habilidades de nível médio para avançado. Próximo do navio, nas Ilhas Rasas há chance de mergulho básico, em profundidade menor, 12 metros. Segundo os especialistas, ambos os passeios rendem fotografias três estrelas. Os dois destinos ficam a cerca de 1 hora de navegação saindo do centro de Guarapari, em escunas. O preço médio é de R$ 250 cada.

5 - Arraial do Cabo - RJ
O Saco do Anequim é um ponto de mergulho de dificuldade básica a média, com 20 metros de profundidade. Já a Gruta Azul é aventura para mergulhadores experientes. “Três estrelas para fotografias no Saco do Anequim, e quatro estrelas na gruta”. Cada passeio sai entre R$ 150 e R$ 200. Para o Saco do Anequim leva-se cerca de 50 minutos, saindo em escunas e saveiros da Praia dos Anjos. Já a Gruta Azul leva 1h e 15 de viagens em escunas ou saveiros da Praia dos Anjos, sendo um mergulho realizado somente quando o mar está muito calmo.

6 – Bonito e Jardim – MS
A Lagoa Misteriosa é um dos mais famosos pontos de mergulho no Brasil e rende belas imagens, para mergulhadores iniciantes ou mais experientes, assim como o Abismo Anhumas. Eles avaliam em cinco estrelas ambos os destinos. Para chegar à Lagoa, o acesso é por meio de uma fazenda da região de Jardim, propriedade do Recanto Ecológico do Rio da Prata. “O acesso é fácil, mas é necessário descer uma escadaria longa”, dizem. Preço médio de R$ 330.  O acesso ao Abismo Anhumas é feito por carro, em estrada de terra bem conservada. Depois, é necessário rapel de 72 metros. O mergulho e rapel saem por R$ 1.045, com treinamento no dia anterior ao mergulho.

7 – Abrolhos – BA
Nos chapeirões dos Abrolhos é possível visitar o Naufrágio do navio Rosalinda, a 20 metros de profundidade (básico e avançado) e o navio Santa Catarina – que repousa no mar há mais de cem anos, quando afundado durante a I Guerra Mundial (básico a avançado, 27 metros de profundidade). Também há opção para o mergulho “raso”, de oito metros de profundidade, na Língua da Siriba, extensão da ilha de mesmo nome. Segundo os aventureiros, os dois navios ganham três estrelas para chance de boas fotos, e o último passeio, quatro. Para chegar à Abrolhos, é necessário embarcar na navegação que sai da cidade de Caravelas, viagem que pode levar até quatro horas. Eles recomendam os liveaboards, onde há alimentação e estadia na embarcação para aproveitar melhor o passeio. Preço médio entre R$ 600 e R$ 800/dia.

8 – Ilha Grande – RJ
A Fenda da Ilha de Jorge Grego oferece bons mergulhos para aventureiros de nível médio a avançado, e o Parcel do Coronel é opção para níveis de básico a avançado. Ambos rendem fotografias 3 estrelas, de acordo com os especialistas. O Parcel fica a pouco tempo de navegação, saindo das principais operadoras de mergulho de Ilha Grande. Já a Ilha do Jorge Grego tem acesso em mar aberto, por isso é recomendável uso de liveaboard com alimentação e estadia a bordo. Mergulhos em Ilha Grande têm preço médio de R$ 2 mil o final de semana.

9 – Natal – RN
O Batente das Agulhas é uma formação rochosa a 25 km da costa. É aventura para mergulhadores iniciantes e experientes, com mergulho a 18 metros mar adentro. Já a “Laje da Criminosa” é um recife de corais para mergulhadores experientes, pois exige descida a 45 metros. Ambos os destinos rendem fotografias quatro estrelas. Navegação longa saindo do Iate Clube do Natal leva aos dois destinos. O passeio e mergulho até o Batente sai por volta de R$ 380, já a Laje, R$ 350.

10 – Rifaina – SP e Estreito – MG
Fechando a lista longe do mar e dentro dos cânions, em Rifaina, na divisa de São Paulo com Minas Gerais, o Cânion dos Mandis oferece chance de mergulho para aventureiros habilidosos (35 metros); mais adiante para dentro do estado mineiro, o Cânion do Estreito é descida de 42 metros. Ambos com chance de fotografia três estrelas. Passeio de churrasco e dois mergulhos por R$ 180, com navegação tranquila até os pontos de mergulho saindo da Praia Branca, em Rifaina.