FALTAM 8 DIAS

Aventura movimenta US$ 345 bilhões por ano no mundo

Clique aqui para ler a matéria direto da fonte.

Depois que o surfe, a escalada e o skate foram anunciados como parte da Olimpíada de Tóquio, a tendência é que os esportes e o turismo de aventura ganhem mais visibilidade e consequentemente mais adeptos. Esta indústria movimenta anualmente cerca de US$ 345 bilhões no mundo – em viagens, equipamentos, vestuário e acessórios – e será o tema principal da Adventure Sports Fair, que acontece de 12 a 16 de outubro no São Paulo Expo, na capital paulista. Grandes marcas como To Go Travel, GM, Bardahl, Triumph e Nautika já confirmaram presença, de olho no mercado consumidor.

Elas têm razão. A vida ao ar livre é cada vez mais celebrada por pessoas de alto poder aquisitivo. Um estudo sobre turismo de aventura feito em 2013 pela Universidade George Washington, em parceria com a Adventure Travel Trade Association (Associação do Trade de Viagens de Aventura), mostra o perfil dos praticantes: 71% deles têm um passaporte válido, a idade média é de 36 anos e a renda média mensal é de US$ 3.900 (cerca de R$ 12.870 reais). Além disso, 48% são solteiros, ou seja, mais dispostos ao consumo.

O gasto médio no mundo com viagens de aventura, excluindo equipamentos e passagens aéreas, passou de US$ 593 por pessoa em 2019 para US$ 947 em 2012, o que representa um crescimento de cerca de 20% ao ano. Se considerarmos apenas sul-americanos, o aumento no mesmo período foi da ordem de 25% ao ano para aventuras leves e de espantosos 85% ao ano para aventuras extremas (modalidades como escalada, heliski, kitesurf, paragliding e trekking).

No caso de pacotes completos comercializados por operadoras e agências de turismo, o valor individual investido por roteiros de oito dias é, em média, de US$ 3 mil, mas este número pode quadruplicar em casos extremos, como, por exemplo, na escalada do Everest. Só a permissão para ingresso na montanha custa US$ 11 mil, e o valor pode chegar a US$ 48 mil se somarmos passagens, guias, equipamentos, etc.

Outro dado interessante é que o número de turistas americanos e europeus que se identificam como viajantes de aventura subiu de 26,3% em 2009 para 41,9% em 2012. Isso abrange qualquer pessoa que tenha tido a aventura como tema principal de sua mais recente viagem.

A importância do segmento de aventura é tão grande que em 2014 a Organização Mundial do Turismo (OMT) preparou um relatório global sobre o tema. Uma das conclusões foi que a América do Sul é uma das regiões preferidas deste tipo de viajante.

Serviço

Adventure Sports Fair

12 a 16 de outubro

São Paulo Expo – São Paulo

Rodovia dos Imigrantes, km 1.5

Horários: quarta-feira, das 10h às 21h; quinta e sexta, das 14h às 21h; sábado, das 10h às 21h; e domingo, das 10h às 19h.

www.adventurefair.com.br